Comunidade quilombola em situação de vulnerabilidade recebe visita do Governo Federal


Após denúncia de que a comunidade quilombola de Gurupá está sofrendo violação de direitos humanos, etnocídio e conflitos fundiários na comunidade, o Secretário Nacional de Promoção da Igualdade Racial, Juvenal Araújo visitou a comunidade.

O Ministério Público Federal (MPF/PA) entrou com ações judiciais que tratam da situação de conflito ocorridas com os moradores da comunidade quilombola Gurupá. Nas ações, o órgão pede segurança aos quilombolas, a conclusão do processo de demarcação e a retirada imediata de ocupantes ilegais.

Preocupado com a situação o Secretário Juvenal Araújo chama a responsabilidade dos gestores públicos locais, do governo federal e da sociedade civil para as situações de desigualdades ocorridas principalmente na área de educação que apresenta más condições com referência à infraestrutura e a falta de material escolar e na área da saúde marcada pela também falta material de trabalho, como vacinas, e ausência de médicos no posto de atendimento da comunidade.

Ainda de acordo com o Secretário, a parceria com o Ministério Público Federal no Pará representado na pessoa do Doutor Patrick Menezes Colares, representa a garantia do atendimento jurídico e social aos vários relatos apontados pelo próprio MPF/PA relacionados ao descumprimento de direitos humanos, aos direitos adquiridos pela comunidade, ataques aos remanescentes de quilombos existentes e ainda, alguns casos de assassinato.

“Para nós é muito importante retornar a comunidade quilombola Gurupá. Há mais de um ano, nossa comitiva visitou a comunidade com a presença da então Secretária de Igualdade Racial, hoje a atual Ministra de Direitos Humanos, Luislinda Valois. Hoje a nossa vinda até a comunidade é para realmente verificar se houve algum avanço desde a nossa última visita e nos colocar a disposição para que ver o que nós e o Ministério Público podemos fazer ainda mais para que seja assegurado os direitos dessa comunidade”, destaca o Secretário.

Postado por Equipe Limite Zero Em: 13/Dez/2017 / Sem Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.